Uma carta ao Sr. Câncer!

Olha aqui seu danado e usurpador, hoje eu não venho só, estou chamando todos meus familiares, o Olimpo, irmãos, Ju e filhas, genro, neta, meus médicos na terra, meus médicos espirituais, amigos e poetas do Face… É ! Desta vez vai ser difícil para aportares em mim, vai arrumando a mala, as células, deu, fim pra ti…

Chegaste de mansinho, sorrateiro, silencioso, mas maldoso à beça… Tá certo, me fizeste parar de fumar e também trouxeste contigo o recado para eu olhar mais a mim mesmo… não seria bem mais fácil conversar, não achas? Aham, sei: gente covarde, mesquinha, doentia, má, chega na surdina, esparrama-se, no entanto agora, basta!

Não mais te darei meu corpo, meu sangue, minha células para teus turismos torpes e enganadores, eis minha carta de alforria ( tenho muitas outras guardadas, pois faz 8 meses que me incomodas, se necessário abro uma delação contra ti, não vai faltar quorum, acabei com a quimioterapia, agora minha arma contra ti será a Imunoterapia (vês que jogo limpo, dou a arma do duelo ), o sempre Amor, Esperança,Fé, Poesia e Arte…cuidado, muito cuidado, tenho muita gente do bem a meu lado, portanto adeus, eu e m/eus seguimos, não mais em coma de ser feliz… seguimos felizes, de poros bem abertos e lúcidos.

Apesar de tudo, Sr., mando-te um abraço, sem tua intervenção, não viveria os 100 anos que almejo.

Carmen Silvia Presotto – Vidráguas – Porto Alegre, 12 de fevereiro de 2017.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *