Vidráguas nasceu de um poema publicado no livro Dobras do Tempo. Desde então só cresceu, passando de blog – voltado à divulgação de poesia – à editora. Sem nunca esconder sua essência: a experimentação da transparência. E, baseada nessa transparência, é que o Vidráguas desenvolve suas atividades há 6 anos em projetos que vão muito além da editoração de poesia.

O Vidráguas assume a responsabilidade do desenvolvimento do projeto gráfico e editorial além da finalização do projeto junto à gráfica. Deixando claro, ao longo de todo o processo, que o elemento fundamental para a materialização de todo produto é a transparência. Para o Vidráguas, a obra é do autor. Dessa forma, a figura do editor representa muito mais a antiga função do livreiro, ou seja, um facilitador, um indicador de todo o processo e suas etapas.

Além disso, outro aspecto importante o qual move e também impulsiona o Vidráguas é concordar com a definição do grande poeta Haroldo de Campos, o qual afirmava que “a poesia é risco”. Não temendo, assim, o Experimentalismo Poético por meio de inovações como são os Poemas Enredados ou o InVentar Palavras. Acreditando e apostando em poetas novos.

E por falar em inovação, nada mais adequado do que descobrir e explorar novos espaços onde a poesia possa ser consumida. Por isso, o Vidráguas investe pesado na realização de trabalhos dentro de diversos ambientes virtuais, tais como as mídias sociais. Possibilitando conteúdos em novos formatos e maior acesso a esses conteúdos.

Experimente. Invente. Vidráguas.