Para um bom anoitecer, um poema de Lara de Lemos… !

LEGADO
Para Laury Maciel

Recuso-me a herança
deste poço vazio
deste lodo legado
em negligências.

Engulo a seco e calo.
Aposto em cada poema
— único engenho
ainda não vencido.

Proponho rubros jogos
olhos atentos
para o imaginário.

Ases de puro ouro
— naipes que guardo
para meu incêndio.

Poema integrante da série Adaga Lavrada.

In: LEMOS, Lara de. Adaga lavrada. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; São Paulo: Massao Ohno, 1981. (Poesia hoje, 51. Nova fase)

Saibam mais aqui:http://www.elfikurten.com.br/2015/07/lara-de-lemos.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *